Qual será seu próximo passo?

Qual será seu próximo passo?

Qual será o seu próximo passo?
Dias atrás eu estava na dúvida sobre o que fazer acerca do oferecimento dos processos criativos nesse período do ano, nesse momento de pandemia. Pessoas interessadas tem nos procurado buscando orientação, e estamos tentando servir com singeleza de coração.

Então, meditei, orei, ouvi minhas amigas empreendedoras e resolvi dar o próximo passo: Oferecer o Curso intensivo online -Corpografias: equilibre-se com criatividade.

A proposição desse curso, pela Potlach Editora & Ateliê de Arte Contemplativa pauta-se nas noções de empreendedorismo feminino que tem como princípio fomentar a colaboração, a solidariedade e a ação de graças.

A colaboração mútua das profissionais envolvidas no projeto como Adriana Baptista, Diana Gilardenghi, Jussara Maria da Silva, Marta Cesar, Milu Leite, Priscila Cardoso, Telma Lia de Souza, manifesta-se na valorização do trabalho criativo, divisão das tarefas, apoio afetivo, espiritual e profissional.

A solidariedade está em contribuirmos financeiramente com coletivos, grupos e comunidades que dialogam com nossas ações de Dança, Escrita e Meditação.

Ação de graças. Novembro mês de Ação de Graças. Tempo de agradecer. E a forma que encontramos para isso é convidando você e todas as pessoas que participam de nossos processos criativos para juntos celebrarmos a “Potlach” nossa cerimônia da doação.

Quando você participa de nossos processos criativos, você está contribuindo diretamente com a manutenção desses grupos parceiros:

🌟Armazém – Coletivo Elza
🌟Bengalantes Grupo de Dança da Associação Catarinense de Integração da Pessoa com Cegueira.
🌟Bonnevaux Centro para Paz da Comunidade Mundial para Meditação Cristã.
🌟Potlach Editora & Ateliê de Arte Contemplativa.

“Potlach” – talvez você já sabe, é uma cerimônia em algumas tribos indígenas, onde cada um doa o melhor de si. Trocas inusitadas acontecem e o milagre da multiplicação aparece, de modo que todas as pessoas participantes fiquem satisfeitas e gratas.

Começo a segunda-feira meditando às 5h da manhã com o grupo de oblatos da Comunidade mundial para Meditação Cristã. Nessa semana, uma oblata compartilhou sua experiência no caminho contemplativo. Ela comentou que às vezes estamos diante de algumas situações delicadas que não sabemos o que fazer. A tradição cristã de meditação ensina o que temos a fazer é 1. Meditar duas vezes ao dia; 2. Dar o próximo passo; 3. Agir com fé e amor; 4. Esperar em Deus, que milagres acontecerão…

Estamos dando nosso próximo passo aqui ao oferecer, segunda-feira às 17h uma Masterclass para quem está se perguntando qual será o meu próximo passo? Venha descobrir algumas possibilidades criativas que a dança, a escrita e a meditação podem proporcionar. Convide ou compartilhe com alguém, isso pode ser um belo gesto de solidariedade.

Faça sua inscrição: envie um e-mail para contato.potlach@gmail.com Participe dessa cerimônia de doação.
Abraços com alegria,
Ida Mara

Escrever para quê?

Escrever para quê?

“Apaixonado pelo silêncio, o poeta não tem outro recurso senão falar.” Octavio Paz

Se você já participou de alguma oficina comigo,  sabe que eu escrevo diários desde meus treze anos de idade, são muitos os cadernos que registram minhas memórias corporais, sensoriais e afetivas. Provavelmente, você pode estar se perguntando: Para que servem  esses registros?

Vou  te responder destacando três ações que tenho apreendido dos meus diários.

1) Os registros em meus diários servem para Criar.  Quando  estou passando por um momento difícil, pergunto-me: Já passei por uma fase parecida como essa? Como  lidei com esse problema? Então,  eu leio o diário desse período com atenção. Reflito. Em seguida, tento agir de uma maneira diferente e  criativa. Escrevo e danço com as palavras.

2) Os registros de minhas memórias  servem para Espelhar.  Pois os registros também espelham meus padrões mentais. Percebo na escrita as palavras que se repetem, os verbos mais utilizados, as partes do corpo mais citadas ou ausentes nas descrições. Diante  do espelho dos pensamentos transcritos na folha de papel ganho discernimento para equilibrar minha mente.

3) Os registros escritos servem para Perdoar. Quando escrevo ponho tudo no papel, sem censura. Escrevo, escrevo às vezes sem parar. Expresso tudo que sinto, seja o que for. Afetos e desafetos. Nessa escrita que,  às vezes, é um grito de alegria, um choro,  uma dor profunda, um silêncio,  uma raiva contida, tudo se torna uma esperança bem-vinda  onde abro espaço para perdoar,  transformar o medo e ousar também me amar.

O e-book Diário Corpografias ensina você passo a passo a registrar criativamente  vários aspectos  da sua experiência de vida.  Com isso você irá exercitar a sua criatividade, ter mais consciência do seu processo mental, e inspiração para cultivar a  paz interior.  Quando somos criativos conseguimos ter mais liberdade de expressão.  O  conhecimento do nosso processo mental descortinado na escrita, favorece a escolha de  viver em um nível mais consciente, e deixarmos de ser levados por ações inconscientes. A experiência dupla do perdão, perdoar os outros e perdoar a nós mesmos é um passo fundante da paz interior.  O e-book Diário Corpografias têm como proposta despertar a sua sensibilidade, celebrar a sua experiência de viver e abrir seu coração para ser uma pessoa que  ama e é amada.

Para  inspirar você fazer os exercícios estou criando um grupo fechado para acompanhar a realização das atividades do diário e propiciar a troca entre  as pessoas participantes.  Será muito bom apreciar de perto seu processo criativo.

Se você já adquiriu e já baixou seu e-book “Diário Corpografias”  cadastre-se e participe do grupo:  https://www.facebook.com/groups/344250886278201/

Apresente-se e divirta-se!

Caso você ainda não adquiriu o e-book “Diário Corpográfias” aqui está o link para você fazer isso agora: https://go.hotmart.com/H13906907L 

Aproveite o desconto que acaba dia 01/12/2019.

Se você tiver em sua mente e  no seu coração alguém que poderia se beneficiar com esse email, por gentileza, compartilhe.

Enquanto isso contemple as palavras de Rupi Kaur:

“no dia em que você tiver tudo

espero que ainda tenha

memória  de quando não  tinha”

Abraços com Alegria,

Ida Mara

Dança e Memória

Dança e Memória

Workshop Corpografias – Dançar, Escrever e Meditar
Benefícios: Expressar-se criativamente tendo como base o registro de suas memórias corporais; Apreciar suas palavras dançadas; Criar e escrever seu diário sensorial; Desfrutar da alegria e da liberdade de expressão; Cultivar a paz interior.
Transforme: Confusão mental, Sensação de estagnação; Bloqueio criativo; Vergonha ou timidez; Resistência à mudança; Experiências negativas passadas.
Descrição do Processo Criativo Duração: 06 semanas.
Frequência: 01 encontro presenciais semanal
Dia e horário: Sexta-feira das 14:30 às 17:30.
Local: Estação Corpo – Rio Tavares – Florianópolis- SC

“A paralisia pode transformar uma pessoa em coisa? Não, não pode, porque essa coisa pensa. Estou precisando urgentemente de nascer. Está doendo muito. Mas se eu não saio dessa, sufoco. Quero criar. Quero gritar para o mundo: Nasci!!!!” Clarice Lispector
O Workshop Corpografias será oferecido em seis encontros, e se propõe encorajar você a superar suas inseguranças de se expressar criativamente. Nós iremos motivar você a registrar suas memórias corporais, a estruturar sua escrita como um esqueleto, a criar um diário sensorial, e a reconhecer a voz que vem do seu coração. Cada um dos encontros seguirá a sequência dos 21 exercícios propostos no Diário Corpografias.
No primeiro encontro, Dança e Memória, apresentaremos a noção de Corpografias que permeia nosso trabalho, e vamos focar a memória dos ossos ao escovar, dançando, as palavras do nosso ser.

Encontro 1 |Dança e Memória| 30 de Agosto
Diana Gilardenghi é professora, bailarina e coreógrafa. Atua profissionalmente desde 1978. Formada pelo Taller do Teatro San Martin. Em 2000 foi contemplada pelo programa Rumos do Itaú Cultural com o trabalho Crosta. Recebeu, junto a Triz Cia de dança, o Prêmio Klauss Vianna 2008 para a realização de Um Duplo e Klauss Vianna 2011 para o espetáculo Em Constante. Tem extensa atuação como docente, ministrando cursos em escolas, centros de cultura, academias e eventos. Atualmente leciona Dança Contemporânea em Florianópolis e participa do Projeto Corpo Tempo e Movimento contemplado pelo Edital Elisabete Anderle 2014 e 2017.