O que é humildade?

O que é humildade?

Esse ano de 2021 a minha palavra é Humildade.
Leiam aqui um resumo do texto que a psicóloga Joana Simão Valério escreveu:

A humildade tem sido, ao longo do tempo, um conceito pouco compreendido e muitas vezes associado a um significado de fraqueza, subserviência, pobreza ou a uma aparência descuidada e despojada.

A origem etimológica da palavra humildade é derivada no latim, de “humus” que designa terra.

A humildade pode ser entendida como um processo psicológico a partir do qual o indivíduo se relaciona consigo e com os outros de forma realista, mantendo “os pés no chão” e reconhecendo as suas limitações e fragilidades, na medida em que fazem parte da sua verdade e da sua natureza.

Esta capacidade de aceitação e de tolerância dos aspectos mais vulneráveis e dolorosos da nossa personalidade, sem os afastarmos por recurso à repressão, dissociação ou projeção, implica a existência de algum grau de maturidade psicológica que também nos vai permitir estabelecer relações interpessoais sustentadas sobretudo na compreensão em vez de ser no julgamento e na crítica.

A tranquilidade que a humildade proporciona ao assegurar o indivíduo da sua identidade, na qual estão integradas as suas forças e as suas limitações, incrementa definitivamente a qualidade dos seus relacionamentos.

A pessoa com humildade consegue aceitar que, em certos momentos da sua vida, necessita de ser cuidada e é capaz solicitar e de receber esse cuidado por parte do outro sem se sentir rebaixado e humilhado.

Pessoas que se classificam pretensiosamente humildes através de manifestações anti-beleza/sucesso/dinheiro não são genuinamente humildes porque aquilo que verdadeiramente as move e sustenta é uma necessidade de enaltecimento ou um desejo de superioridade. Quem quer mostrar que é humilde não é realmente humilde.

Quando é genuína, a humildade pode estar presente em qualquer contexto ou condição de vida, não é exclusiva de nenhum extrato sócio-econômico e acima de tudo é uma expressão de maturidade psicológica e saúde mental. Leia texto na íntegra https://www.psicologia.pt

#humildade #psicologia #saúdemental #equilibrio #vidasimples

Onde está a alegria que você procura?

Onde está a alegria que você procura?

Como cultivar a alegria diariamente?
Como compartilhar a sua alegria com outras pessoas?
Como aprender a cultivar uma alegre esperança em qualquer situação?

Agende sua sessão online de mentoria gratuita envia-me um email idamara@idamarafreire.com.br
WhatsApp: (48) 98825-9192

Dê esse passo para transformar a sua dor.

#alegria #dor #perdão #criatividade #potlacheditora #idamarafreire #áfricadosul

Amar não é matar

Amar não é matar

“Porque deixar partir está no núcleo do amor. Amar é libertar e não matar.”

Hoje a notícia chegou com um convite singular com uma flor: “HOMENS DO CAMPECHE, esse convite não é só direcionado a nós, mas principalmente. Estaremos em PASSEATA contra esse ato covarde que tirou a vida da profª Elenir, diretora da EEB Januária Teixeira da Rocha. Precisamos reconhecer a importância de nos colocarmos, de maneira firme e corajosa, contra mais um feminicídio em nosso bairro. É hora de ação! Não podemos permitir esse tipo de violência gratuita e aceitar que somos SIM parte do problema. Pois é chegada hora de tentarmos fazer parte da solução. Faremos uma divulgação mais apropriada, mais tarde, mas já convidamos para nos encontrarmos na Pracinha do PACUCA [esquina da Capela c/ Pequeno Príncipe], no próximo sábado, 22/02, as 16h00, e sairmos em caminhada até a EEB Januária. Venham todos! Venham e convidem quem quiser vir! Já basta de nos mantermos calados e sermos coniventes com tudo isso!”

Ontem quando voltei para casa no final da tarde, percebi essa flor  no  jardim. Observei sua singularidade, sua beleza, sua  cor forte. Logo em seguida iniciei  minha prática contemplativa, onde refleti sobre alguns   parágrafos do livro “Vivendo com a contradição” de autoria de Esther De Waal: “Porque deixar partir está no núcleo do amor. Amar é libertar. […]Onde houver apego ou posse, a pureza do amor está perdida. Ficar por demais juntos, muito agarrados, é tornar impossíveis as demandas do outro – a demanda de amar o outro totalmente, de tal modo que quase inevitavelmente isto se tornará impossível e assim conduzirá a sentimentos negativos de ciúme e rejeição. Esta é uma forma de apego que pode ter a aparência ou o rótulo de amor, mas que na verdade escraviza e leva ao sofrimento. […] Porque amar e deixar partir estão no coração do amor de Deus pelo mundo. Devemos considerar isso como expressão de amor em seu grau mais pleno e verdadeiro.”

Entrei no silêncio, mais entre a algazarra dos papagaios, soam  as sirenes da ambulância? Polícia? A buzina do caminhão do bombeiro é inconfundível.  Afogamento? Quando ouvi na sequência o som do helicóptero do Arcanjo. Orei. Meditei. No silêncio fiquei.

Hoje a notícia chegou com um convite singular com uma flor: HOMENS DO CAMPECHE, esse convite não é só direcionado a nós, mas principalmente. Estaremos em PASSEATA contra esse ato covarde que tirou a vida da profª Elenir, diretora da EEB Januária Teixeira da Rocha. Precisamos reconhecer a importância de nos colocarmos, de maneira firme e corajosa, contra mais um feminicídio em nosso bairro. É hora de ação! Matar não é amar.