Corpografias

Aprenda a registrar suas memórias corporais

Diário com 21 exercícios práticos de escrita criativa, divididos em três semanas. Na primeira, explora-se a memória dos ossos, na segunda, foca-se a memória sensorial e na terceira semana, busca-se a memória afetiva.O diário em pdf, contém 37 páginas, é ilustrado com algumas fotografias coloridas dos registros de processos criativos onde as participantes estão envolvidas com suas memórias corporais. Se a sua escrita parece que não tem pé nem cabeça ou quem sabe você gostaria de saborear suas palavras e deseja escutar seu coração. Conheça as corpografias e aprenda registrar suas memórias corporais, e desenvolver habilidades de uma escrita mais autoral.

Vantagens

Aprenda em 3 semanas ou em 21 dias a estruturar sua escrita como um esqueleto, criar um diário sensorial e reconhecer a voz do seu coração.

Confio integralmente nos exercícios experimentados e propostos no livro “Corpografias” , mas você pode tirar suas próprias conclusões sem qualquer risco. Após adquirir e experimentar o exercícios, você pode pedir a devolução integral do valor se achar que não tirou proveito dos conteúdos no prazo de 7 dias. É nossa política oficial oferecer esta garantia incondicional.

Participe do grupo “Corpografias”, no Facebook, exclusivo para troca de ideias sobre as atividades do diário.

Adquira já

Um pouco do meu trabalho

Eis aqui #10 passos para você sair da estagnação  e restaurar seu equilíbrio físico, mental e espiritual e retornar para   o alegre e criativo fluxo da vida.
As Jornadas são delineadas para ajudar você:
a) abrir mão de padrões de pensamentos que te paralisam e inibem sua forma de pensar com clareza;
b) explorar e criar um novo repertório de movimento que favoreça você se expressar com mais confiança e autoapreciação;
c) e, cultivar um coração compreensivo e vivenciar a alegria duradoura.
 
Dê seu primeiro passo para sair da estagnação e restaurar seu equilíbrio físico, mental e espiritual. 
solicite uma sessão gratuita online

Quem sou eu

A escrita assim aconteceu: rastros no espaço, traços de paisagens humanas, registros diários em lápis e papel.Mas, entre o não ver e ser visto – a diferença vivida, estudada seja na cor da pele, na condição feminina, na trajetória espiritual – tornou-se dança, palavra, e hoje se apresenta como palavra dançada. Ida Mara Freire é Pedagoga, Especialista em Dança, no seu mestrado pesquisou a interação mãe-criança, durante seu doutorado identificou a dança no corpo de quem não vê, em seus estudos pós-doutorais, na Inglaterra e na África do Sul, dançou a diferença e o perdão…Atualmente, além de dedicar-se à escrever  e encorajar pessoas na dança da vida, ela é diretora do Potlach Editora e Atêlie de Arte Contemplativa.

Depoimentos

Acompanhe minha jornada no instagram

20 de Novembro. Dia da Consciência Negra. 
.
.
“Você pode me  marcar na história 
Com suas mentiras amargas e distorcidas Você pode me esmagar  na própria terra 
Mas ainda assim, como a poeira, eu vou me levantar.

Meu atrevimento te perturba? 
O que é que te entristece? 
É que eu ando como se tivesse poços de petróleo 
Bombeando na minha sala de estar.

Assim como as luas e como os sóis, 
Com a certeza das marés, 
Assim como a esperança brotando, 
Ainda assim, eu vou me levantar.

Você queria me ver destroçada? 
Com a cabeça curvada e os olhos baixos? Ombros caindo como lágrimas, 
Enfraquecidos pelos meus gritos de comoção?

Minha altivez te ofende? 
Não leve tão a sério 
Só porque rio como se tivesse minas de ouro Cavadas no meu quintal.

Você pode me fuzilar com suas palavras, 
Você pode me cortar com seus olhos, 
Você pode me matar com seu ódio, 
Mas ainda, como o ar, eu vou me levantar.

A minha sensualidade te perturba? 
Te surpreende 
Que eu dance como se tivesse diamantes Entre as minhas coxas?

Saindo das cabanas da vergonha da história Eu me levanto 
De um passado enraizado na dor 
Eu me levanto
Sou um oceano negro, vasto e pulsante, Crescendo e jorrando eu carrego a maré.

Abandonando as noites de terror e medo 
Eu me levanto 
Para um amanhecer maravilhosamente claro Eu me levanto 
Trazendo as dádivas que meus ancestrais me deram, 
Eu sou sonho e a esperança dos escravos. 
Eu me levanto 
Eu me levanto 
Eu me levanto.

#aindaassimeumelevanto #mayaangelou #poesia #diadaconsciêncianegra #lubiprates #astralcultural

Posted @withregram • 📸@drmayaangelou  #MayaAngelou
20 de Novembro. Dia da Consciência Negra. . . “Você pode me marcar na história Com suas mentiras amargas e distorcidas Você pode me esmagar na própria terra Mas ainda assim, como a poeira, eu vou me levantar. Meu atrevimento te perturba? O que é que te entristece? É que eu ando como se tivesse poços de petróleo Bombeando na minha sala de estar. Assim como as luas e como os sóis, Com a certeza das marés, Assim como a esperança brotando, Ainda assim, eu vou me levantar. Você queria me ver destroçada? Com a cabeça curvada e os olhos baixos? Ombros caindo como lágrimas, Enfraquecidos pelos meus gritos de comoção? Minha altivez te ofende? Não leve tão a sério Só porque rio como se tivesse minas de ouro Cavadas no meu quintal. Você pode me fuzilar com suas palavras, Você pode me cortar com seus olhos, Você pode me matar com seu ódio, Mas ainda, como o ar, eu vou me levantar. A minha sensualidade te perturba? Te surpreende Que eu dance como se tivesse diamantes Entre as minhas coxas? Saindo das cabanas da vergonha da história Eu me levanto De um passado enraizado na dor Eu me levanto Sou um oceano negro, vasto e pulsante, Crescendo e jorrando eu carrego a maré. Abandonando as noites de terror e medo Eu me levanto Para um amanhecer maravilhosamente claro Eu me levanto Trazendo as dádivas que meus ancestrais me deram, Eu sou sonho e a esperança dos escravos. Eu me levanto Eu me levanto Eu me levanto. #aindaassimeumelevanto #mayaangelou #poesia #diadaconsciêncianegra #lubiprates #astralcultural Posted @withregram • 📸@drmayaangelou #MayaAngelou
Novo episódio da série humildade do podcast  Mude sua História. 

Você é uma pessoa que quer prosseguir? 
Hoje vamos abordar o quinto passo da humildade  que diz:  se desejarmos crescer, são imperativas a auto-revelação e a interação com outras pessoas.  
Primeiramente,  devemos admitir   nossas fraquezas e limitações. Examinar o coração, deixar a hipocrisia, não pretender ser o que não é, abrir-se para a cura da alma. 

E alguém - uma  amiga,  um companheiro, um parente, alguém que seja  bastante próximo para se preocupar com o nosso crescimento – nos oriente através dos labirintos das incertezas e lutas nas quais, silenciosa e insidiosamente, nossas vidas se tornaram.  Alguém  que nos sustenta enquanto prosseguimos. Deixamos nossas falsas imagens e nos manifestamos como somos com alguém a quem isso importa. Assim reconhecemos a força dos outros para nos tirar de nossa debilidade. 

Quando jogamos luz dentro das cavidades de nossos corações, certamente descobrimos não ser tão grande quanto pensávamos o dragão que lá mora.
 
Vamos meditar:

Sente-se em silêncio. Abaixe a cabeça, feche os olhos, inspire suavemente e imagine-se olhando para o seu próprio coração. Leve sua mente, isto é, seus pensamentos, da cabeça ao coração. Ao expirar, diga:

“Deus me conceda serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar; coragem para mudar as coisas que posso; e sabedoria para distinguir a diferença.” 
 
Leitura sugerida: Sabedoria que brota do cotidiano.  Joan Chittister,  oração da serenidade, atribuído à Reinhold Niebuhr 

#humildade #joanchittister #oraçãodaserenidade #relacionamentos #aconselhamento #escritacriativa #meditação #podcast #mudesuahistória #processoscriativos👣
Novo episódio da série humildade do podcast Mude sua História. Você é uma pessoa que quer prosseguir?  Hoje vamos abordar o quinto passo da humildade  que diz:  se desejarmos crescer, são imperativas a auto-revelação e a interação com outras pessoas.   Primeiramente,  devemos admitir   nossas fraquezas e limitações. Examinar o coração, deixar a hipocrisia, não pretender ser o que não é, abrir-se para a cura da alma.  E alguém - uma  amiga,  um companheiro, um parente, alguém que seja  bastante próximo para se preocupar com o nosso crescimento – nos oriente através dos labirintos das incertezas e lutas nas quais, silenciosa e insidiosamente, nossas vidas se tornaram.  Alguém  que nos sustenta enquanto prosseguimos. Deixamos nossas falsas imagens e nos manifestamos como somos com alguém a quem isso importa. Assim reconhecemos a força dos outros para nos tirar de nossa debilidade.  Quando jogamos luz dentro das cavidades de nossos corações, certamente descobrimos não ser tão grande quanto pensávamos o dragão que lá mora.   Vamos meditar: Sente-se em silêncio. Abaixe a cabeça, feche os olhos, inspire suavemente e imagine-se olhando para o seu próprio coração. Leve sua mente, isto é, seus pensamentos, da cabeça ao coração. Ao expirar, diga: “Deus me conceda serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar; coragem para mudar as coisas que posso; e sabedoria para distinguir a diferença.”    Leitura sugerida: Sabedoria que brota do cotidiano.  Joan Chittister,  oração da serenidade, atribuído à Reinhold Niebuhr #humildade #joanchittister #oraçãodaserenidade #relacionamentos #aconselhamento #escritacriativa #meditação #podcast #mudesuahistória #processoscriativos👣