Comunidade de Amor

Estou aqui a refletir sobre a noção de comunidade. Lição de casa de um dos ecourse que estou fazendo com a comunidade monástica da monja beneditina Joan Chittister. Eu não sei se vocês sabem, mas, após participar das atividades da Wccm, Comunidade Mundial para a Meditação Cristã, em 2019 durante o retiro de silêncio anual, dirigido pelo monge beneditino Laurence Freeman, aceite o chamado para trilhar a jornada da vida contemplativa. Viver num mosteiro sem paredes. Viver numa Comunidade de Amor. Viver num Mosteiro do Coração.
Desde então eu iniciei uma jornada espiritual, completamente, inusitada. Um caminho que vem sendo há muito tempo pavimentado por experiências com o Sagrado, por exemplo, ser nascida em um lar cristão, e aos 20 anos ter feito minha profissão de fé na Igreja Metodista e prática contemplativa vivida desde 2004. Não poderia jamais imaginar que uma prática diária de meditar duas vezes, poderia transformar o meu viver tão insolitamente. E expandir minha noção de Sagrado e percebe-lo bem no centro da minha vida cotidiana e no meu relacionamentos com as pessoas.

Comunidade. Você deve deve ter notado que meu vocabulário tem mencionado frequentemente algumas palavras: esperança criativa, humildade, hospitalidade, comunidade, etc. Elas são partes dos estudos que tenho feito na Comunidade Mundial da Meditação Cristã – Wccm. Confesso que estou muito animada com essa possibilidade de perceber outros universos que essas palavras contém.
Hoje se fala muito em comunidade, o senso de pertencer é utilizado como gatilho mental na venda dos produtos. Pois, sabem que as pessoas tem uma necessidade vital de pertencer a algo ou a alguém. A pergunta que se faz é se você tem consciência disso? Algumas pesquisas tem mostrado que 95% das nossas ações são motivadas pelo inconsciente! Então, é bom prestar atenção e saber qual é a noção de comunidade que permeia suas memórias inconscientes? É bom também reconhecer quais comunidades você pertence ou gostaria de pertencer? O quanto que você está implicado na sua comunidade e o quanto sua comunidade está implicado em você? Se você pudesse criar uma comunidade, como ela seria? Quem seriam as pessoas? Quais seriam os seus valores? Como seria o relacionamento entre elas? O que fariam juntos?
A monja beneditina Joan Chittister reflete que: Comunidade significa que estamos nisso juntos. Não tem a ver com local, nem com distância. Mas, como servimos e como somos servidos, trata-se de reciprocidade. O que é central é que estamos juntos, e nós usamos nossos produtos por algo maior do que nós,
que “não armazenamos grãos em celeiros”, como dizem as escrituras, para somente nossa própria segurança, mas usamos os lucros do nosso trabalho para o bem dos outros também.”
Como reverberam em você essas palavras de Anthony DeMello:
“Sem um senso de cuidado não pode haver senso de comunidade.”
Que cada dia façamos um ato de carinho, de gentileza, que amplie a nossa Comunidade de Amor.
#comunidade #joanchittister #wccm #meditaçãocristã #laurencefreeman #johnmain #potlacheditora #processoscriativos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *