Um Deus que dança

Ida Mara Freire Título do livro do escritor português José Tolentino Mendonça, inspirado em Nietzsche, que escreveu  que só acreditaria num Deus  que dançasse.  Sim, eu acredito num Deus que dança e que doa também, e me convida para dançar e doar todos os dias, em silêncio, no jardim, com quem está próximo ou distante […]

Leia mais »

Cicatrizes

Singela homenagem. “A experiência  da dor, memória e esquecimento, vazio e preenchimento são vias que sugerem uma chave de entrada à obra de Paulo Gaiad. Mesmo que se evite a biografia como um roteiro de criação artística, em Gaiad a trajetória particular é matéria-prima de seu trabalho”,  escreve Fifo Lima, no primeiro parágrafo do livro […]

Leia mais »

O desafio do Perdão

Foto e texto por Ida Mara Freire Estou aqui impactada com a leitura do livro da  jornalista e escritora ucraniana Svetlana Aleksiévith, vencedora do  prêmio Nobel de literatura 2015.  Um título sugestivo: A guerra não tem rosto de mulher. Em suas palavras: “Não estou escrevendo  sobre a  guerra, mas sobre o ser humano na guerra. […]

Leia mais »

Contemplar ou Mergulhar

Foto: Ida Mara Freire Escrita: uma conversa dançada com o leitor Por Ida Mara Freire “Em virtude desse olhar as feições se fizeram rosto e, mais tarde, máscara, significação, história.” Estou aqui no Labirinto da Solidão de Octavio Paz atenta ao seu exercício de imaginação crítica dos mexicanos, homens e mulheres: “O adolescente se assombra […]

Leia mais »